top of page

Você é uma pessoa cansada de tudo? Casa da Vida? Leia isso

Atualizado: 13 de out. de 2023

Desistir de algumas coisas, às vezes, é fazer uma limpeza na vida. Você é uma pessoa cansada de tudo?


Você é uma pessoa cansada de tudo
Você é uma pessoa cansada de tudo


Quantas vezes você já se pegou com vontade de desistir de algo? Do relacionamento, do emprego, da faculdade, da vida, etc.. Parece que desistir tornou-se um mal, algo ruim, algo que não deveria nem ser cogitado ou mencionado. Ou então, seguindo uma visão motivacional, desistir está ligado à fraqueza, aos “losers”, etc..


Às vezes, estar cansado de tudo e da vida é um sintoma para desistir. E desistir é totalmente o contrário de ser um loser: é um ato corajoso, de cora-ação, ou melhor, da ação do coração.


Este é um dos grandes problemas de quem comete suicídio. De acordo com James Hillman, o suicida não é capaz de ressignificar a própria vida, ressimbolizar e descobrir novos “eu”s, novas vontades, novos desejos, novos pathos. Porque é mais difícil ter coragem de se matar metaforicamente do que literalmente. Desistir é uma ferramenta, é conhecer, reconhecer e deixar-se ser os infinitos “eu”s que em nós habitam. Você é uma pessoa cansada de tudo?


Por vezes também, é preciso desistir de uma vida tóxica para renascer em uma vida mais harmônica. 


Desistir é permitir-se ao erro, ao inesperado, ao inexorável. Lembre-se que desistir é sempre uma opção, e uma difícil decisão. Sair de um emprego, brigar com o chefe, terminar um relacionamento, tudo isso demanda de muito cora-ação. Não existem porquês para se fazer isso.


Na verdade, desistir não precisa ter porquês. Por que você saiu desse emprego fixo que você ganhava bem? Por que você terminou este relacionamento se estava tudo indo nos conformes? Se racionalmente, sem cora-ação, está tudo ok, mas com cora-ação, nada faz sentido, é necessário mudar. 


É necessário perceber que somos mais do que nossos relacionamentos, nossos trabalhos, mais do que nossas contas bancárias, mais do que a nossa própria percepção de “eu”.


Você já se perguntou algum dia quem você quer ser a partir de agora? Quem em você deseja ser o que se quer ser? Dentro de cada um de nós, há múltiplos “eu”s, e é isso que garante a nossa força de mudança, a nossa harmonia interna. Podemos mudar de emprego, de faculdade, de relacionamento, de zeros na conta, de partido político, de eu, etc.. 


Leonardo Torres, 30 anos, analista junguiano.



612 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Коментарі


bottom of page