top of page

Contágio Psíquico e os Massacres

Nos últimos dias estamos vivendo sob o pânico dos massacres. Não somente em escolas, mas em universidades também. Como foi difícil abrir o jornal e presenciar a distopia que estamos vivendo. Nem mesmo os autores mais distópicos poderiam escrever algo assim. Por isso, escrevi esse texto mais objetivo, sem poesias, para irmos direto ao ponto.


Tem sido evidente o crescimento das preocupações sobre a violência em nossa sociedade. Tornou-se crucial entender os mecanismos por trás dessa propagação. Nesse contexto, o conceito de contágio psíquico da violência ganha relevância e demanda um olhar mais atento.




O contágio psíquico da violência


O contágio psíquico da violência é um fenômeno no qual a exposição à violência, seja direta ou indiretamente, pode levar a um aumento na probabilidade de um indivíduo manifestar comportamentos violentos. E não somente isso, se lançarmos o olhar para a psique humana, perceberemos que a violência já está lá, em cada um de nós, mesmo que de forma incubada. O contágio ocorre a partir de processos racionais e irracionais, como a identificação, empatia e imitação (mimese). O movimento é duplo, partindo e sendo incentivado pelo social e pela mídia bem como proveniente da própria psique, em seu prisma mais maléfico e violento.


Isso significa que nós já estamos contagiados pelos acontecimentos recentes! Resta-nos agora, compreender a motivação da alma, antes que novos massacres ocorram.


O contágio, basicamente, é influenciado por alguns fatores, gostaria de elencar rapidamente alguns:

  1. Exposição: a quantidade e a frequência de exposição à violência, seja por meio de relatos e boatos, imagens, vídeos ou acontecimentos reais.

  2. Contexto: o ambiente em que a violência é presenciada, como situações de conflito, abuso doméstico, bullying ou até mesmo pela mídia.

  3. Vulnerabilidade individual e social: características pessoais e experiências prévias do indivíduo, como histórico de violência, traumas e transtornos psicológicos. Vale lembrar que muito do que estou apontando aqui possui uma causalidade – a negligência das instituições diante dos indivíduos em estado de vulnerabilidade (desde a instituição dos pais, à escola, à política, etc.).

Mecanismos envolvidos


O contágio psíquico da violência ocorre através de três mecanismos principais:

  1. Identificação: as pessoas se identificam com as vítimas ou os agressores e internalizam os comportamentos que observam, o que leva à adoção de atitudes violentas.

  2. Imitação ou Mimese: indivíduos copiam comportamentos violentos como uma forma de lidar com situações similares às que presenciaram, perpetuando a violência.

  3. Dessensibilização: a exposição contínua à violência pode diminuir a sensibilidade emocional do indivíduo em relação a situações violentas, tornando-o mais propenso a agir de forma agressiva.

Implicações sociais


Devemos compreender como a violência se propaga na sociedade bem como alertar para a necessidade de intervenções preventivas e educativas. A palavra-chave aqui é Consciência!

  1. Campanhas de conscientização sobre os efeitos do contágio psíquico da violência, visando a promoção de uma cultura de paz e respeito.

  2. Implementação de programas educacionais nas escolas e comunidades, que trabalhem habilidades socioemocionais e promovam a resolução pacífica de conflitos.

  3. Limitar a exposição à violência na mídia e entretenimento, principalmente para crianças e adolescentes, estabelecendo critérios e classificações etárias adequadas.

  4. Oferecer suporte psicológico e emocional às vítimas e aos agressores, buscando compreender e tratar os fatores que levaram ao comportamento violento. E, nós, devemos aprender com isso. Não podemos fechar os olhos para o fato de que o que tem acontecido pode ser um chamado da alma.

  5. Envolver instituições, como escolas, universidades, órgãos governamentais e organizações não governamentais, na promoção de políticas públicas e práticas de prevenção à violência.

  6. Incentivar o diálogo aberto sobre o tema da violência e suas raízes, fomentando um debate construtivo que englobe as diversas camadas da sociedade.

Conclusão


O contágio psíquico da violência é um fenômeno complexo e multifacetado que requer atenção tanto dos profissionais da área da saúde mental quanto de toda a sociedade. Reconhecer e lidar com o contágio psíquico da violência é fundamental para promover uma convivência mais harmoniosa, respeitando a diversidade e as diferenças individuais, rumando para a alteridade. Que o self nos ajude.


Você pode encontrar o meu estudo sobre o Contágio Psíquico neste link.


Leonardo Torres, analista junguiano.


Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page